Version EnglishENGLISH VERSION

Livro Teoria de Relações Internacionais

30/03/2006

O CEBRI realizou, em 30 de março de 2006, debate em torno do livro "Teorias de Relações Internacionais", do economista Gilberto Sarfati, que apresenta um panorama das várias perspectivas teóricas que marcam o tema.

O CEBRI realizou, em 30 de março de 2006, debate em torno do livro "Teorias de Relações Internacionais", do economista Gilberto Sarfati, que apresenta um panorama das várias perspectivas teóricas que marcam o tema.

Sarfati descreveu a área de relações internacionais como um campo de estudo próprio que, apesar de conviver com outras disciplinas, não se confunde com elas. Destacou que a decisão de escrever o livro surgiu da constatação de que não havia nenhuma obra no Brasil que abordasse as teorias de relações internacionais. Em seguida, explicou a organização do livro, que se encontra dividido em duas grandes partes, a primeira sobre o universo clássico das relações internacionais e as principais teorias clássicas; e a segunda, sobre o período seguinte à Guerra Fria - na qual questiona o fim do realismo e a emergência de teorias alternativas às visões clássicas.

Na parte inicial, são abordados os paradigmas das relações internacionais e os pensamentos clássicos que marcam a disciplina: o realismo e o idealismo clássico, o marxismo, o liberalismo, a Escola Inglesa, o neo-realismo, o debate neo-neo, as teorias da interdependência e a teoria dos jogos aplicada às relações internacionais.

Na segunda parte, discute-se a emergência de teorias pós-modernas, da teoria crítica, do construtivismo, a introdução de contribuições da psicologia cognitiva no estudo de Relações Internacionais, o feminismo, o terceiro debate das Relações Internacionais e o realismo estrutural.

À exposição de Sarfati, seguiu-se um debate sobre as diferentes vertentes das escolas de Relações Internacionais no Brasil, cujas linhas variam entre uma visão multidisciplinar e uma área específica. Foi apontada a falta de diálogo entre essas duas visões e a necessidade de se chegar a um denominador comum. O professor Sarfati defendeu o entendimento da disciplina como uma área específica e apontou o surgimento de dezenas de cursos de Relações Internacionais como a exploração de um campo novo. Entretanto, Sarfati ressaltou que no futuro o mercado estará mais restrito e seletivo para os profissionais de Relações Internacionais.



Centro Brasileiro de Relações Internacionais