Version EnglishENGLISH VERSION

Gabeira comenta o livro "A Agenda Internacional do Brasil"

12/06/2009

Em artigo publicado na Folha de São Paulo, o Deputado Federal e jornalista Fernando Gabeira comenta o livro "A Agenda Internacional do Brasil" de Amaury de Souza, feito em parceria com o CEBRI.

Brasil no mundo

Por Fernando Gabeira para a Folha de São Paulo.
12.06.2009

 

"A Agenda Internacional do Brasil" é o nome do livro de Amaury de Souza que acaba de sair. Trata da política externa brasileira, de FH a Lula. Amaury trabalha em cooperação com o Cebri (Centro Brasileiro de Relações Internacionais), um núcleo de intelectuais que se dedicam ao tema.

O livro é uma pesquisa feita na comunidade brasileira de política externa, isto é, entre as pessoas que trabalham, estudam ou dependem, de alguma forma, das decisões nacionais sobre a inserção do Brasil no mundo.

Não se trata de uma comunidade homogênea. Há divergências, e Amaury chega a dividir as correntes, para efeito didático, em globalistas, regionalistas e pós-liberais. As nuances aparecem aqui e ali, por exemplo, na ênfase que a primeira corrente dá aos acordos internacionais envolvendo os países mais avançados.

Neste espaço, o mais viável é falar das tendências majoritárias. No momento, a preservação da democracia na América do Sul é considerada uma tarefa prioritária pela maioria dos entrevistados, que defende também a construção da infraestrutura comum, estradas, energia, telecomunicações.

O aquecimento global e o tráfico internacional de droga são vistos como os maiores desafios. A corrente isolacionista que existia no passado sumiu. Quase todos elogiam o crescente papel brasileiro.

Não esperava, no início da democratização, que o Brasil andaria tão rapidamente. Na comissão de política externa, temos sempre visita de estudantes. Delegações de deputados de todo o mundo nos procuram com diferentes demandas.

São tantos os acordos para aprovar, tantas chances de diplomacia parlamentar, que era preciso qualificar gente, melhorar a estrutura. Os escândalos nos paralisaram. Mas a nova realidade do Brasil enfatiza a urgência da tarefa.


Centro Brasileiro de Relações Internacionais